sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A partir da próxima segunda feira, 24/01/2011, estaremos atualizando o nosso Blogger para mantê-los por dentro dos acontecimentos. Por alguns meses por problema de saúde interrompemos o trabalho,mas o estamos retomando.Até e muito obrigado. Henrique Mattioli.
video

domingo, 7 de fevereiro de 2010

UM POUCO DE ARRAIAL


Arraial D’Ajuda, badalação e belezas naturais na Costa do Descobrimento
O Arraial D’Ajuda presenteia o litoral baiano com 16 km de praias paradisíacas de areias brancas cercadas por coqueirais. O povoado, localizado em Porto Seguro, proporciona aos seus visitantes uma ligação sem igual com a natureza. À noite, a tranqüilidade dá lugar à badalação em um destino turístico freqüentado por pessoas de todas as idades.
A Rua Mucugê, que fica no centro do povoado, é uma miscelânea de povos, ritmos e estilos, resultante da diversidade de lojas, bares e restaurantes. A noite é agitada com muitas festas. “As barracas de praia são animadas com DJs, shows e bandas. À noite vários restaurantes servem todos os tipos de comida e no Beco das Cores tem bares que tocam música ao vivo”.
Quando a assunto é festa, no mês de janeiro não vão faltar opções. Um lugar onde a festa não pára é na Cabana Grande, que fica na Praia do Parracho. Todos os dias têm um estilo musical diferente e a festa só começa depois das 23h.
Para aproveitar o mar, a lista de praias é grande. A primeira praia do Arraial é a praia Apaga Fogo, cercada por recifes que permitem a formação de piscinas naturais quando a maré está baixa. A praia Araçaípe também tem mar calmo e areia enfeitada por conchas. A praia da Pitinga é uma das mais procuradas. Sua vegetação, as falésias, as ondas fortes e esverdeadas e a areia fofa compõe o cenário de belezas naturais. Na praia do Taipe está a Lagoa Azul, em meio a coqueirais e restingas, com o mar aberto e poucas barracas para quem quer curtir o sol com tranqüilidade.
O turismo ecológico também oferece muitas opções de divertimento no cenário exuberante da Mata Atlântica. O Arraial Eco Parque, um dos poucos parques aquáticos ecológicos do mundo, está localizado em uma reserva natural de Mata Atlântica, em frente à Praia de Mucugê. No parque há opções de esportes radicais como tirolesa, rapel, escalada e arvorismo para curtir as férias com muita emoção e aventura.
As opções de hospedagem são muitas e variadas. A cidade conta com muitos hotéis, pousadas e resorts, além de casas e chalés para aproveitar o Arraial com todo o conforto. Para quem é da Bahia e quer conhecer o próprio estado, o Arraial D’Ajuda é uma ótima opção. Os turistas de fora também são mais do que bem vindos a conhecer um dos mais bonitos lugares da Costa do Descobrimento, um lugar que expressa perfeitamente as belezas naturais e a diversidade das opções da Bahia.

Como Chegar:
De Carro:
Tomar a rodovia BR 101; ao chegar no Km 772, em Eunápolis, tome a rodovia que dá acesso a Porto Seguro e, no Km 32 siga à direita na rodovia que dá acesso ao Arraial d´Ajuda. Outra forma de chegar é ir até Porto Seguro onde há balsas, que funcionam 24h.
De Ônibus:
As Companhias São Geraldo e Águia Branca fazem o percurso a partir de São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife e a partir das principais cidades da Bahia e do norte de Minas Gerais. Se não encontrou passagens diretas para Porto Seguro, faça um transbordo em Eunápolis, onde um ônibus da Companhia Águia Azul o leva diretamente para Arraial d´Ajuda, com distância de trajeto de 60 km.Saindo de Porto Seguro, pegar a Balsa até o Arraial.

De Avião:
As principais companhias áereas possuem voos até Porto Seguro. A distância do aeroporto para a balsa é de 4 Km, os quais podem ser percorridos de táxi. Da balsa até o centro do Arraial são mais 4 Km que podem ser feitos de carro, moto, táxi, van ou ônibus.
videoDÊ UM PAUSE NO ÁUDIO DO BLOGGER PARA ASSISTIR O VÍDEO.

ARRAIAL D'AJUDA







.
Arraial d'Ajuda mescla história do Brasil e natureza na Bahia

ANA SOUSA
colaboração para a Folha de S.Paulo, de Arraial d'Ajuda



A uma hora e meia de vôo a partir de São Paulo --e mais alguns minutos de balsa--, Arraial d'Ajuda tem uma dos melhores relações custo-benefício para quem quer se aventurar na costa do Descobrimento.




Charmoso e democrático, esse distrito de Porto Seguro tem 18 mil habitantes e reúne os principais atrativos de suas vizinhas Porto Seguro e Trancoso.
Nos anos 1960 e 1970, quando o vilarejo foi descoberto por uma geração hippie, a região chamava atenção pela exuberância natural, mas padecia de falta de estrutura. Em três décadas, o lugar se reinventou.
Arraial soube conjugar seu passado de aldeia "paz e amor" e as influências e anseios dos turistas estrangeiros e brasileiros.
O resultado está lá para quem quiser ver: gastronomia com influências internacionais e uma sofisticada variedade de opções de lazer e de hospedagem. E sem perder o charme e um jeito autêntico de arraial.
Onde tudo começou
O tempo parece parar na vila de Arraial d'Ajuda, colorida por casinhas rústicas. Ali, moradores antigos conversam nas calçadas e as crianças brincam em meio à história do Brasil.
Dizem os historiadores locais que o nome Arraial d'Ajuda foi uma homenagem a Tomé de Souza e aos primeiros jesuítas que aportaram na região da Bahia em 1549, com as naus Conceição, Salvador e Ajuda.
Para chegar à igreja, comece caminhando pela Bróduei, a rua que já foi a mais movimentada da região e recebeu esse nome em homenagem à Brodway norte-americana. Na década de 90, a rua concentrava serviços importantes e era o único lugar no qual havia cabines telefônicas.
Até hoje, moradores antigos se divertem ao relembrar a dificuldade de fazer uma ligação naquela época em que os recados ficavam reunidos numa caixa de papelão com divisórias em ordem alfabética --que passava pelas mãos de todos. Não havia segredo que sobrevivesse à falta de estrutura.
O passado não está presente somente nas conversas dos locais, mas também está impregnado no centro histórico que fica nos arredores da igreja de Nossa Senhora d'Ajuda.
Durante a construção da primeira capela, em 1549, padres jesuítas acharam uma fonte de água que, providencialmente, consideraram milagrosa.
Outros milagres de Nossa Senhora teriam aparecido gradativamente e serviram como atrativo para fiéis que passaram a buscar a capela.
Como consequência da chegada dos romeiros, a necessidade de uma infra-estrutura para abrigar gente fez com que novas edificações fossem surgindo em torno do templo. Em 1772, a igreja ganhou os contornos que mantém até hoje. Apesar de pequena, a construção tem um altar exuberante, em tons de azul e dourado, que vale a pena contemplar.
Numa sala lateral à nave central fica um pequeno museu de milagres: fotos, desenhos, peças de cera em formato de partes do corpo... Diversas coisas que os fiéis ali depositam como uma forma de agradecer pela graça que receberam.
Atualmente, segundo dados da Prefeitura Municipal de Porto Seguro, a igreja recebe cerca de 15 mil romeiros na "Festa da Santa", que acontece todos os anos, entre os dias 7 e 15 de agosto.
Em qualquer época, vale à pena contemplar a bela vista que se descortina no mirante do fundo da igreja. Dali se tem uma vista fantástica da praia d'Ajuda ou dos Pescadores.

MAIS NOTÍCIAS DE ARRAIAL







Porto Seguro: Arraial d'Ajuda se mostra como um real porto seguro





FERNANDO BADÔ.
Enviado especial da Folha de S.Paulo a Porto Seguro (BA)Porto Seguro, no sul da Bahia, tornou-se já há algum tempo sinônimo de destino turístico de massa. A imagem é a de uma cidade tomada por milhares de turistas adolescentes em sua maioria, divertindo-se em um esquema "balada": consumo elevado de bebidas alcoólicas, muita paquera e axé music em volume alto ecoando de qualquer objeto parecido com uma caixa de som.

Se você tem vontade de conhecer a Costa do Descobrimento, aonde as primeiras caravelas portuguesas chegaram ao Brasil há pouco mais de 504 anos, mas o cenário descrito acima não lhe agrada, Arraial d'Ajuda é um porto seguro dentro da própria. O distrito, a 4 km do centro da cidade, apresenta outro estilo, em que predomina a tranqüilidade.

Com a Secretaria de Turismo do Estado, comerciantes e hoteleiros locais trabalharam para criar esse panorama diferenciado para Arraial.

O centro de Arraial d'Ajuda é de uma simplicidade chique. As ruas de paralelepípedo são estreitas --carros e pedestres têm que dividir o espaço. As lojas e restaurantes com paredes coloridas dão ao visitante uma sensação de aconchego. E por mais que faça calor, uma brisa constante se assemelha a um ar condicionado natural. Não deixe de passar pelos points: o Beco das Cores, a Broduei (assim mesmo, com a grafia aportuguesada) e a Shopping.

A vida gastronômica é variada. Há comida portuguesa, italiana, japonesa, mineira e, claro, baiana. Come-se um churrasco argentino e, se você decidir comer uma pizza, vai se convencer de que é possível degustar uma de qualidade, mesmo longe de São Paulo. Após isto tudo, a festa corre solta, sob o comando de DJs.

O local dos sábados é a Ilha dos Aquários, onde há, de fato, grandes aquários como decoração. Forró e axé animam a noite.

Fonte Uma das lendas da história do distrito diz que, na época da colonização, dois padres estavam na região de Arraial. Construíram uma casa, mas não havia água boa para beber. Uma vez, parte de um morro desabou e de lá brotou uma fonte de água potável.O milagre foi atribuído à Nossa Senhora d'Ajuda, e, a partir da construção da igreja à ela dedicada, outras edificações passaram a surgir no local. Alguns nativos gostam de se banhar na fonte, que fica dentro de uma capela.Religiosos iam ao local em romaria. A lenda diz que quem se banha ali retorna a Arraial. Mesmo descrente não custa tentar.

ARRAIAL É NOTÍCIA







Windsurfe e caiaque levam à praia de Pitinga, em Arraial d'Ajuda (BA)
ANA SOUSA
colaboração para a Folha de S.Paulo, de Arraial d'Ajuda




Quem estiver acostumado às barracas gigantescas de Porto Seguro não vai encontrar na praia de Pitinga aulas ou shows de axé, nem levas de adolescentes à procura de curtição.

Arraial d'Ajuda mescla história do Brasil e natureza na Bahia
Ana Sousa/Folha Imagem

Praia de Pitinga é ideal para esportes náuticos; os paredões de falésias contrasta com azul das águas
Localizada entre Mucugê e Taípe, a praia é democrática: tem opções que vão desde confortáveis barracas locais com wi-fi a esportes radicais. E, claro, um visual deslumbrante.
Antes mesmo de virar ponto turístico, a praia já chamava atenção. As falésias brancas e avermelhadas que a emolduram foram descritas na carta de Pero Vaz de Caminha.
O mar claro e com poucas ondas é praticamente um reflexo da maioria das praias da região. E é ideal para esportes náuticos como windsurfe e caiaque.
De frente para uma barreira de recifes marinhos, ficam as cinco barracas principais de Pitinga. No canto oposto, sobra uma enorme faixa de areia aos pés do paredão de falésias.
Em meio a tudo isso, é possível avistar o rio Pitinga, uma fina faixa de água escura.
A posição e o volume de água do riacho costumam variar de acordo com a época do ano e as chuvas. De qualquer forma, ele é uma boa opção para quem quiser se refrescar na água doce. Praticamente sem correnteza, o Pitinga parece uma ondulosa piscina natural.
Não se assuste se algum peixe passar por perto. Pequenos cardumes ficam à beira do rio, como se beijassem a areia.
Conforto e esportes
O movimento se concentra na região das barracas. Ao contrário do que acontece na maioria dos destinos, a quantidade de gente por ali costuma ser menor nos fins de semana.
O Maré (www.barracamare.com.br) oferece boas opções gastronômicas --para petiscos ou refeições. A especialidade da barraca (que tem wi-fi) é o peixe na telha. Tem também chope , mas há também cerveja, como a uruguaia Norteña ou a gaúcha Polar.
Para os visitantes que quiserem explorar a praia de Pitinga, uma boa oportunidade é velejar em um catamarã . "Dependendo da condição do tempo dá para levar máquina e filmar o passeio", diz o instrutor Ricardo Oliveira.
Opção aos mais aventureiros é voar de parapente . Partindo do topo das falésias, é possível sobrevoar a bela praia da Barra e avistar, de longe, o monte Pascoal.


Nome de Arraial d'Ajuda remete aos jesuítas que chegaram em 1549 com as naus Conceição, Salvador e Ajuda
Parque aquático
Para quem prefere banho de piscina ao banho de mar, o Arraial d'Ajuda Eco Parque (www.arraialecoparque.com.br) reúne um grande complexo aquático.
Ele abriga ainda o projeto Coral Vivo (www.coralvivo.org.br), que tem como objetivo estimular a preservação dos corais brasileiros. Logo na entrada, há cartazes que explicam a formação dos corais e localizam as principais barreiras no mundo e no Brasil.
Espécies de coral-cérebro, coral-couve e coral-de-fogo podem ser vistas em tanques. Alguns ainda são filhotes e se desenvolvem em placas de cerâmica. "No Brasil, existem cerca de 17 espécies de coral. Mas muita gente não conhece, pensa que eles são pedras", diz o monitor Edimilson Conceição.
O projeto tem vários esqueletos de corais, que realmente lembram pedras. Os visitantes podem tocá-los e observar alguns deles no microscópio.